A mortadela

De onde vem?

de lá.

De quem é?

Dela.

, e o que é?

A mor.

Deixe um comentário

Arquivado em 2016, Coletivo Hiato, Uncategorized

Poesia concreta

poesia-concreta

Aula de hoje, no Coletivo Hiato, exercício de Poesia Concreta.

Deixe um comentário

Arquivado em 2016, Coletivo Hiato, Uncategorized

Sempre e Nunca

Sempre e nunca,
são duas palavras que,
sempre que possível
nunca devem ser ditas!

Deixe um comentário

Arquivado em 2016, poema, Uncategorized

Feliz Primaveras

Queria poder te dar um Ipê,
um ipê amarelo florido,
daqueles que aparecem no meio do nada,
surgem de um dia para o outro,
florido e imponente.

Queria poder te dar o canto de um Sabiá,
formoso encanto que vem nos acordar.
Pela manhã, ele sem saber, no pé de nossa janela,
canta e nos acorda, mas não dá vontade de levantar.

É primavera, é a sua estação.
Queria poder te dar o sabor das pitangas,
o ploft de uma fruta madura estourando
no céu da boca. Gostosa sensação.

É primavera, é a nossa estação.
Comemorar mais essa ao seu lado,
com nossos pais e filhos,
indescritível emoção.

Em minha mente algumas recordações,
como a primavera de 99, há 17 anos.
A primavera de 95, a gente com 17 anos.
Juntos, passados presentes.

Mas eu queria te dar mais!
Dar mais recordações,
para que no futuro possamos recordar este presente.
Recordações de um presente bem vivido.

Por isso eu queria te dar mais esse presente,
esta primavera, repleta de ipês amarelos,
cantos de pássaros, sabores, cheiros e sensações.
Enfim muito mais recordações.

 

Escrito em homenagem ao níver de minha amada esposa.

Deixe um comentário

Arquivado em 2016, poema

Oportunidade de Ouro

PERDIDA!

O Brasil perdeu sua oportunidade de ouro nessas olimpíadas. Mas não perdeu na abertura, durante o evento ou no encerramento. O Brasil perdeu a oportunidade 4 anos antes, 8 anos antes do início do jogos.

Já imaginou se tivéssemos ao menos um atleta em todas as categorias para disputar medalhas com reais chances. Pois ter atleta é uma coisa, ter atleta com chance de disputa de medalha já é outra coisa.

Muita coisa pode ser dita e tom de reclamação, do governo que não apoia, e quando apoia o dinheiro não chega nos atletas devido à corrupção, as empresas que pouco patrocinam atletas amadores impossibilitando de se tornar profissional, a imprensa que pouco noticia sobre atletas, só fala de violência e insegurança.

Qual a proposta utópica no Brasil.

Toda escola brasileira deveria ter uma quadra poliesportiva coberta com pista para prática de atletismo, equipamentos e material para prática de diversos outros esportes. E com um ambiente agradável, ter mais aulas de educação física prática.

Para se montar um colégio particular ou uma faculdade particular, somente cumprindo os requisitos acima. Nada de faculdade à distância, nada de galpão chocadeira que entra milhares de estudantes pagando quase nada de mensalidade e se forma em coisa alguma útil para o mercado competitivo internacional.

A verba das loterias deveriam ser verdadeiramente utilizada para financiar esse projeto.

Toda cidade deveria ter um centro poliesportivo com treinamento em diversas modalidades do esporte gratuitamente, bem como oferecer treinamento especializado para os esportistas destaques.

As empresas poderiam utilizar parte de seus impostos, verdadeiramente, para financiar atletas amadores com reais chance de se profissionalizar. Assim como são obrigadas a ter o menor aprendiz e pessoas com deficiência, também deveriam ser obrigadas a ter em seu quadro de funcionários, atletas amadores que treinam de verdade para competições.

Tenho frisado o verdadeiro, pois muitas dessas propostas existem, mas não são verdadeiras ou o dinheiro não chega na ponta, ou seja, o dinheiro acaba sendo desviado antes em compras superfaturadas.

Acredito que se a iniciativa pública apoiasse a iniciativa privada em prol deste feito, teríamos muito mais qualidade de vida.

E o terceiro pilar de minha proposta é que a comunicação em mídia desse mais ênfase e destacasse mais a vida de atletas amadores que podem servir de inspiração para outras pessoas, não é apenas ter um jornal de esportes que só passa futebol como se só existisse o futebol, não é isso, mas sim em todo jornal ter reportagem sobre atletas, seus desafios e dificuldades superadas.

Se o atleta aparecesse mais na mídia, atrairia mais patrocínio e as empresas investiriam mais em esporte e educação. Porém como a mídia só mostra “a sua verdade” que é a insegurança pública, as empresas acabam investindo muito no reforço da segurança.

E por que tudo isso, qual a importância de uma medalha olímpica, se um atleta ganha o que a sociedade ganha com isso?

Toda a sociedade se beneficia  com investimento verdadeiro em esporte, direta e indiretamente. Aumentando o grupo de atletas em um bairro ou cidade, a moral, ética e qualidade de vida desse grupo vai melhorar também. A sociedade se tornaria mais guerreira do bem. Com certeza, muitos de nossos problemas sociais seriam amenizados.

Mas o Brasil perdeu o bonde da história e a oportunidade para fazer isso para inglês ver foi perdida, esse projeto era para ter iniciado há no mínimo 4 anos atrás.

No Japão, que tem a cidade de Tóquio como sede dos próximos jogos olímpicos 2020, já demitiu dois presidentes de conselho olímpico por corrupção, isso 4 anos antes, aqui no Brasil as Olimpíadas acabaram sem ninguém ser punido pela corrupção. Será que não houve corrupção nas obras e no repasse de verbas? Houve, mas no país deixa eu roubar que eu te deixo roubar, ninguém é punido de verdade, assim como o dinheiro nunca chega a quem precisa de verdade.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Pokémon GO, entenda velhinho

A visão de um pai quase quarentão sobre o jogo mais esperado do ano de 2016, enfim lançado no Brasil em 03/08/2016.

Sou um cara da tecnologia e gosto de coisas nerds e geeks, isso já mostra o quanto eu aguardava ansioso pelo lançamento do jogo. Mas nem tanto quanto os jovens, vendo meu filho de 11 anos e seus colegas que acompanhavam live no youtube, buscavam informações de quando seria o possível lançamento.

Pokémon não é do meu tempo, e não entendia muito do assunto, assisti alguns pouquíssimos episódios. Hoje, cinco dias depois do lançamento, já até sei alguns nomes e suas evoluções.

Para os semi-antigos como eu, para ficar fácil de entender, Pokémon GO é como um álbum de figurinhas interativo. Ao invés de ir na banca de revista comprar pacotinhos com figurinhas, a pessoa anda pela cidade em busca dos bichinhos.

Essa é uma das partes legais do jogo, na visão de um pai, pois antes meus filhos gostavam de ficar em casa mexendo no computador e agora eles pediram para sair de casa e caminhar pelas ruas. É claro que aproveitei a deixa para estimular a caminhada, além de leva-los em pontos turísticos onde tem maior concentração de pokestops, locais onde pode-se pegar itens além de colocar um lure para atrair os pokémons.

A surpresa é que a garotada saiu de casa em massa e esses pontos turísticos ganharam um novo grupo de visitantes, pessoas que antes custava muito a sair de casa.

O Pokémon GO fez o que o Kinect do Xbox não conseguiu fazer. Que é botar essa garotada para se mexer.

O álbum de figurinhas interativo é simples de entender, há ainda algumas restrições, sendo que não é possível trocar pokémons repetidos com amigos, porém dá para fazer tantas outras coisas interessantes que os aficionados colecionadores modernos estão bem amparados. É possível evoluir os bichinhos, os mais fortes podem dominar ginásios em times, chocar ovos em caminhas de 2km, 5km e 10km. Noções de economia, guardar recursos para algo melhor, não gastar seu pacote 3G desnecessariamente.

Talvez você ainda se pergunta pra que isso? Não é muito diferente da utilidade de um álbum de figurinhas. Para quem é fã do desenho, imagino que seja o máximo, e para mim que não sou fã, ver a alegria e vibração de meus filhos já é uma grande alegria.

Há quem é contrário a tudo isso, são pessoas contrárias à muitas coisas também, não entendem, e usam seu pré-conceito para julgar o desconhecido. Alegam que os distraídos serão atropelados ou mesmo assaltados, e é verdade, esta preocupação existe, mas já existia antes do Pokémon GO. Oriento meus filhos a andarem nas calçadas, a não ficar olhando para a tela, ficar atento às pessoas, e dou exemplo. É para isso que servem os adultos, orientar e não proibir.

Espero que este seja um dos muitos jogos de realidade aumentada que estão por vir, espero que os cientistas desenvolvam esta tecnologia e que ela possa ser útil de verdade, saia do mundo dos jogos e entre nas casas das pessoas, trazendo mais conforto e comodidade. Espero que os jogos sejam mais úteis na evolução tecnológica e moral do que foram as guerras.

Deixe um comentário

Arquivado em 2016, Uncategorized

Hoje em dia

Deixei de ser muita coisa que já fui antes.

Deixe um comentário

2016.07.27 · 5:04 PM

Eumimmesmo

Eu estava tão preocupado comigo mesmo,
“enmimmesmado” com minhas coisas,
não conseguia te ver, nem ouvir.

Mas notei que,
você estava tão atarefada consigo mesma,
ensimesmada com suas coisas.

O diálogo foi breve,
Eu queria te dizer oi, mas disse tchau.
Você disse oi, mas queria dizer, o que foi?

Sinto sua falta,
saudades do nós.
Nós conosco mesmo.

 

Deixe um comentário

Arquivado em 2016, poema

Política e Justiça

Na minha terra tem prefeitos,
que não querem sair de lá.

A justiça decide algo hoje,
que amanhã “desdecidirá”.

Preciso inventar palavras,
porque senão,
não tem como explicar.

1 comentário

2016.06.19 · 9:20 AM

Classificados poéticos

Compro seus
sonhos por
R$ 1,00

Aberto inscrições
para herdeiros
do reino de
Tão Tão Distante.
Taxa de inscrição
R$ 150,00

PROCURA-SE

Amor de verdade.
A descrição das
características podem
ser encontradas em:
1COR13

ALUGA-SE

Nuvens de pensamentos.
Ideal para cabeças de vento.

 

Deixe um comentário

Arquivado em 2016, classificados poéticos, poema